Feito pra você

Não é papo de gente chata, filtro solar protege mesmo e deve ser usado todos os dias!

Os danos causados pelo sol podem demorar a aparecer, muitas vezes eles chegam dez, 15 anos após a exposição, mas cedo ou tarde manchas escuras, marcas de expressão e rugas mais profundas batem à nossa porta. Mesmo com a orientação de um dermatologista, muita gente ainda dispensa o uso do filtro no dia-a-dia, o que piora todos esses quadros e aumenta os riscos de desenvolver algo mais grave, como o câncer de pele. Dificuldade em adquirir o hábito, achar que o sol só queima em exposições diretas, como praia e piscina, e a dificuldade de encontrar um produto que agrade, são algumas das desculpas mais usadas em consultórios para justificar a falta de uso do protetor solar diariamente.

Segundo a dermatologista Isabela Fleischfresser Poffo, elas são usadas por dois principais erros na hora da escolha do produto:

Não escolher o adequado para o seu tipo de pele em termos de hidratação. “A hidratação excessiva ou insuficiente atrapalha o processo de adaptação ao filtro solar, além de alterar a qualidade da pele. Este é um ponto muito importante nos produtos faciais. Já os filtros de uso corporal são de fácil adaptação.”

Usar um produto diurno com fator de proteção solar baixo. “Isso é muito comum em alguns produtos multiuso, como o ‘BB Cream’, onde muitas vezes encontramos FPS abaixo de 15, considerado insuficiente. É importante lembrar que o mais importante durante o dia é ter uma proteção efetiva contra a radiação solar, principalmente se a pele já está manchada e para prevenir o envelhecimento.”
 

Medida certa

Para que o produto cumpra a proteção da embalagem, a quantidade ideal a ser usada é de 2g por cm2 (é com esta quantidade que os estudos em laboratório são feitos), porém ela é duas a três vezes maior do que usamos na prática, o que torna a proteção insuficiente. “Isto tem implicação direta na qualidade de proteção que teremos. Um filtro FPS 30 se aplicado inadequadamente pode agir como um FPS 15 ou até como um 10.”
 

Leia o rótulo

Nele é importante constar a indicação de proteção de UVB e também UVA. “Normalmente o grau de proteção UVB é três vezes maior que o UVA, considerada a proporção ideal.”
 

Esqueça o bronzeador

Com fator de proteção inferior a 15, os chamados ‘bronzeadores’ não são indicados para a exposição. Mas, quem gosta de pegar uma corzinha, pode adotar a estratégia de bronzeamento que consiste numa ‘exposição solar programada’. “Comece usando um fator mais alto enquanto a pele está muito clara, ou seja, com pouca melanina; e diminua-o conforme a pele for ficando mais pigmentada e protegida. E lembre-se: nunca deixe a pele ficar vermelha, isso é sinal de inflamação e dano as células”, reforça Isabela.
 

Serviço
Dra. Isabela Fleischfresser Poffo CRM 143.736

Av. Albert Einstein, 627 – Bl A1 Sala 421
Hospital Israelita Albert Einstein
Tel.: 2151-5421

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Cadastre-se

 

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Guia do bairro