29 de outubro - Dia mundial do AVC

Poucas pessoas sabem, mas o acidente vascular cerebral , o AVC, também conhecido como derrame, é a principal causa de morte no Brasil e de incapacidade, com impacto na economia e na sociedade. 

A cada cinco minutos, um brasileiro morre em decorrência da doença, o que resulta em mais de 100 mil óbitos por ano.

Segundo a Academia Brasileira de Neurologia, mais de 17 milhões de pessoas em todo o mundo devem ser vítimas de AVC apenas neste ano, sofrendo mudanças imediatas e devastadoras em sua rotina. Os homens são os mais afetados, e a os casos acontecem com maior facilidade a partir dos 55 anos de idade. Os principais fatores de risco são a hipertensão arterial sistêmica, o diabetes mellitus e o tabagismo. O colesterol ou triglicérides elevados, a obesidade, o sedentarismo, má alimentação, a fibrilação atrial, a estenose carotídea e a anemia falciforme também são fatores de risco para a ocorrência de AVC. O adequado controle dos fatores pode reduzir significativamente o seu risco.

No Brasil são registradas 68 mil mortes anuais por AVC, sendo que em 2013 foram registados 68,9 mil. 

 

Existem tratamentos para a fase aguda do acidente cerebral, este pode ser revertido ou melhorado com tratamentos que desobstruem os vasos acometidos em caso de isquemia cerebral. Quanto mais cedo o paciente receber o tratamento maior é a chance de sucesso.

 

ATENÇÃO AOS SINTOMAS:

Os sintomas tanto do AVC isquêmico – que entope os vasos sanguíneos que levam sangue ao cérebro – quanto do AVC hemorrágico, que rompe o vaso sanguíneo provocando o sangramento no cérebro, são parecidos: Perda da visão em um olho ou nos dois; Diminuição ou perda da força na face, no braço ou na perna de um lado do corpo; Alteração da sensibilidade, com sensação de formigamento no rosto, braço ou perna de um lado do corpo; Desvio da rima labial; Alteração da fala - o paciente apresenta dificuldade para articular, expressar ou até mesmo para compreender a linguagem; Dor de cabeça intensa sem causa aparente; Vertigem intensa, instabilidade, náuseas ou vômitos; Rebaixamento do nível de consciência.

 

COMO EVITAR:

Não fumar.

Controlar a hipertensão arterial, colesterol e diabetes.

Praticar atividades físicas com exercícios aeróbicos regularmente. 

Evitar bebidas alcoólicas.

Tentar evitar o estresse.

Preferir alimentos ricos em fibras, frutas e legumes.

Evitar o consumo excessivo de carnes e ou gorduras de origem animal.

Controlar o peso e beber, pelo menos, um litro de água diariamente.

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Cadastre-se

 

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Guia do bairro