Obesidade Infantil

A obesidade infantil é um tema abordado, difundido e discutido mundialmente, mesmo assim os índices dessa doença são crescentes a cada dia.

Dolce conversou com a psicóloga Claudia Gregio Cukierman, que nos mostra a importância de uma alimentação saudável desde a infância e como evitar que as crianças confundam aparência com personalidade e competência.

 

 

Quais as principais causas de obesidade na infância? Em qual idade é mais comum?

A obesidade é uma doença multideterminada, ou seja, se constitui através de uma série de fatores fisiológicos e psicológicos. Certamente, destacam-se questões associadas a fatores genéticos, hábitos de vida/familiares - qualidade e quantidade da alimentação, e atividade física. Do ponto de vista psicológico, a obesidade associa-se a dificuldades emocionais geralmente relacionadas a algum grau de imaturidade emocional, ansiedade, e até mesmo aspectos depressivos. Não há uma idade determinada para o início da doença, ela pode ser observada na infância desde idades bem precoces.

 

 

Quais os distúrbios que acometem as crianças que se percebem "diferentes" dos coleguinhas por serem mais gordinhas?

Perceber-se diferente de forma negativa pode afetar drasticamente a auto-estima, fazer com que a criança se sinta insegura para expressar-se e pouco confiante em suas ações.

 

 

Como pais devem lidar com o problema, sem piorar a situação psicológica de uma criança que já sabe que é gordinha?

Os pais devem ajudar a criança a localizar o seu real problema. Ser obeso pode trazer riscos à saúde, e por isso que é algo a ser controlado como qualquer outro distúrbio. É extremamente importante deixar claro que isso não diz nada a respeito de sua personalidade; competência ou de sua capacidade de aceitação social.

 

 

Há casos em que desde a infância os pais apresentaram somente alimentos gordurosos e nada saudáveis para os filhos, que consequentemente se tornam obesos. O que fazer com pais que cometem esse tipo de situação?

Um dos fatores que influenciam o surgimento da obesidade é o estilo de vida que, na infância, está fortemente ligado aos hábitos familiares. Sendo assim, o tratamento da obesidade exige uma mudança que não pode se limitar a criança, mas deve ser uma mudança mais profunda que envolva toda a familia. Culpar-se não ajuda em nada. Esse deve ser um momento encarado como uma oportunidade de melhorar a qualidade de vida de todos e de se alcançar benefícios para toda a familia.

 

 

Para pais de primeira viagem com filhos pequenos que estejam conhecendo os alimentos: 

A dica é tentar estabelecer refeições e hábitos saudáveis para todos. Os alimentos devem ser apresentados de forma natural e sem preconceitos do que é ou não é algo “que as crianças gostem”. Deve-se reapresentar os alimentos rejeitados pela criança de tempos em tempos. Construir um bom hábito alimentar é uma tarefa que depende de investimento dos pais e que trará um benefício que a criança levará por toda a vida.

 

Claudia Gregio Cukierman – Psicóloga Clínica

CRP 06/ 55705

Rua Jadiatuba, 630 Conj 231 B – Tel. 3895- 2814

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Cadastre-se

 

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Guia do bairro