Mil origamis pela Paz Mundial

No domingo, Dia de Finados, a Associação Cemitério dos Protestantes (Acempro) realizará uma Oficina de Origami em todos os seus cemitérios. 

A ideia é que os participantes produzam juntos mil tsurus pedindo pela Paz Mundial. Origami é a arte milenar de dobrar papel, uma cultura muito tradicional no oriente. Existem diversas opções de dobraduras, uma delas é o tsuru – um pássaro sagrado japonês que simboliza saúde, longevidade, boa sorte, paz e fortuna. Segundo a lenda japonesa a pessoa que fizer mil tsurus de papel pensando em um pedido, esse será realizado. Origamistas estarão à disposição dos visitantes para ensinar a dobradura. Além do workshop, músicos com violinos e instrumentos de sopro percorrerão as alamedas dos Cemitérios. Celebrações religiosas também farão parte da programação.

 

 

A lenda dos Tsurus

 

Em 1955, a jovem Sadako Sasaki, aos 12 anos de idade, foi diagnostica com Leucemia, decorrente da exposição à chuva ácida que sofrera 10 anos antes, consequente do bombardeamento nuclear em Hiroshima, no Japão, durante Segunda Guerra Mundial. Então, uma amiga lhe contou a lenda dos mil tsurus de papel – desde que soube da história, a jovem iniciou as dobraduras mentalizando sempre sua cura. Infelizmente, no dia 25 de outubro de 1955, Sadako faleceu, tendo feito 644 tsurus.

Pela forte comoção, suas amigas completaram os mil tsurus e, com alunos de cidades próximas, lutaram para que fosse construído um monumento em sua homenagem, representando a Paz Mundial e o fim das armas nucleares. Este monumento foi inaugurado em 1958, na cidade de Hiroshima, no Parque da Paz. A estátua foi batizada de Sasaki, uma menina com os braços esticados e segurando um tsuru.

 

Cemitério da Paz – Rua Dr. Luiz Migliano, 644 Das 9h às 17h - Músicos percorrendo as Alamedas do Cemitério e Oficina de Origami Às 10h e 15h - Celebração Religiosa - Padre Élcio Barros e Reverendo Daniel Ferreira

 

 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Cadastre-se

 

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Guia do bairro