Um mundo de novas experiências

Estava no 4º semestre de Engenharia Civil do Mackenzie, com 20 anos, e decidi me inscrever para o processo seletivo de intercâmbio oferecido pela própria universidade, que tem convênios com várias instituições do mundo, nos cinco continentes. 
 
Eduardo Bertolucci
 
Eduardo Bertolucci, estudante de engenharia, estudou na Universidade de Coimbra, Portugal
 
Optei por Portugal, na Universidade de Coimbra, por causa do idioma, mas fiz questão de escolher uma casa onde moravam: espanhóis, chineses, japoneses, portugueses e um italiano. Aliás, essa família bem variada que eu tive, considero a parte mais importante da minha viagem e o que tornou o lugar inesquecível.  No primeiro dia fiquei quase uma hora em frente aos dois chineses sem falar uma só palavra. Eu estava tímido demais com a situação e inseguro com o meu inglês para me comunicar. Mas, com o passar do tempo, ficava até altas horas conversando sobre a China e Brasil como se falássemos em português. 
A folia era diária, mas também tinha que estudar, afinal, o intuito do intercâmbio era cursar algumas disciplinas na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e cursei! Mas, é claro, que só a faculdade não me daria a experiência que eu queria com esta oportunidade que estava tendo. Na Europa, o transporte para outros países é muito fácil e barato, por isso fui conhecer novos lugares. Amsterdam, na Holanda, fui duas vezes (uma no inverno e outra no verão). Tirando a fama de sexo, drogas e rock and roll, a cidade funciona muito bem. Lugar bonito, pessoas educadas, cidade limpa, quase não se vê carros. Parece uma cidade de antigamente, que nem existe mais nos dias de hoje, mas sim, ela existe e eu a conheci! Fui também para a Itália, Bélgica, França, Espanha, Alemanha, Marrocos, Inglaterra, Suécia, Croácia e vários lugares em Portugal mesmo, como cidade do Porto e Lisboa, além de Figueira da Foz.
Fiquei lá por um ano e voltei maduro o suficiente para encarar novos desafios aqui no Brasil como terminar a faculdade e ingressar na carreira profissional. Trabalho numa multinacional e estou terminando a faculdade. Além disso, enfrentar o mundo lá fora sozinho, com pessoas dos quatro cantos do mundo me deixou mais seguro. Estou até fazendo um curso de Mandarim por causa dos meus amigos chineses, que mantenho contato até hoje graças à tecnologia. Penso em uma nova oportunidade, e por que não fora do Brasil novamente? Quem sabe!                                                                                                                                                          

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Cadastre-se

 

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Guia do bairro