Cidadão do Morumbi

Pura emoção

Meus pais, Maria Luisa e Manoel, nasceram em Santos e São Vicente, respectivamente, e conheceram-se ainda crianças. 

Começaram a namorar quando minha mãe completou 18 anos e, em 16 de setembro de 1961, se casaram. Foram quase 51 anos de um casamento muito feliz, que gerou três filhos e seis netos.


Pura emoção

Em 27 de fevereiro de 2006, fizemos uma linda e emocionante festa surpresa para meu pai, em comemoração aos seus 70 anos de idade. E, no início de 2012, começamos a programar a festa que faríamos em março de 2013, para comemorar os 70 anos de minha mãe. Dessa vez não faríamos surpresa, pois ela iria curtir os preparativos.

Porém, no dia 30 de agosto de 2012, meu pai acordou meio confuso e esquecido e minha mãe me ligou assustada. Meus irmãos foram buscá-lo em Santos e o trouxemos para fazer alguns exames. Naquele dia, eu e meus irmãos ficamos ao seu lado o dia todo, mas no final da tarde ele piorou, foi internado na UTI, e na madrugada do dia 31 acabou falecendo. Minha mãe, que havia ficado em Santos, não sabia realmente o que estava acontecendo e tivemos que ir para lá para dar a triste notícia. Foi um dos dias mais tristes da minha vida, pois além de ter que lidar com a minha dor que era imensa, era difícil olhar para minha mãe, aquela mulher que sempre foi muito forte, agora aos pedaços. E o mais triste: ela não teve tempo de se despedir do grande amor da sua vida.

Os meses seguintes foram de muito choro, angústia e saudades. Tive que levá-la a um psiquiatra e ela começou a tomar antidepressivos.
O ano de 2013 começou, março estava próximo e veio a triste lembrança de uma festa que foi tão desejada, mas que não tinha mais sentido para acontecer. Aí me veio a ideia de levar minha mãe para fazer uma viagem, pois seria uma ótima oportunidade para ela se distrair um pouco. Falei com meus irmãos, eles logo eles toparam a ideia e lá fomos nós para a Turquia! No início ela ficou um pouco temerosa, mas ao conversar com outras pessoas e descobrir que íamos conhecer a casa onde a Virgem Maria passou seus últimos anos de vida, acabou se animando.

Chegamos em Istambul, cidade linda que me surpreendeu demais. Fizemos um passeio de barco pelo Bósforo, conhecemos a Mesquita Azul, a Catedral de Santa Sofia, o Palácio de Topkapi e Taksim. Foi muito divertido ver minha mãe tentando falar português com os vendedores turcos do Grand Bazar e do Bazar Egípcio, que me deixou hipnotizada. Atravessamos o Estreito de Dardanelos, visitamos as ruínas da famosa Tróia (a réplica do cavalo estava lá) e seguimos para Çanakkale e Izmir. Finalmente chegamos à casa da Virgem Maria. Lugar lindo, de uma energia inexplicável! Foi impossível conter o choro lá dentro. O muro que contorna o local é coberto de bilhetes com orações e pedidos para Nossa Senhora. É claro que deixamos o nosso lá também!

Nesta fase da viagem, minha mãe já estava diferente, apesar de ainda termos muitas emoções pela frente. Nos maravilhamos com Pamukkale, visitamos Konia, a cidade mais muçulmana da Turquia, e, finalmente, seguimos para a Capadócia. Visitamos as famosas cavernas, vimos os Dervixes rodopiantes e é claro, fizemos o imperdível passeio de balão. Depois disso, nós voltamos para Istambul e no caminho, conhecemos ainda a capital Ancara e uma surpreendente e pitoresca vila chamada Safranbolu. No último dia minha mãe parecia uma criança! Não queria voltar, mas estava feliz! A viagem foi um presente para mim também, pois conviver com ela diariamente me fez redescobrir a grande mulher que ela é. A força dela sempre me impulsionou para frente e fico feliz de ver que esta força aos poucos está voltando, juntamente com seu sorriso.



Ana Maria Ribeiro dos Santos é empresária, filha da dona Maria Luisa e moradora do Morumbi.

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Veja também

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Últimas Lidas Sobre Cidadão do Morumbi