Colunistas

Vovô, vovó e netinhos... na Disney!

Havia quase três anos que Claudio e eu não encontrávamos nossos netos americanos. Desde o réveillon de 2009/2010, quando vieram pela primeira vez ao Brasil, estrear um mergulho nas águas de Ubatuba. 

É certo que o Skype de certa forma encurta distâncias: a gente dá boa noite na hora de dormir, canta parabéns no dia do aniversário, ouve atento às histórias do dia-a-dia da escola e os segredos de... bem, segredo é sagrado! Mas, faz uma falta danada dar e receber aqueles abraços e beijos que só avós e netos sabem trocar, invadir a cozinha pra inventar (juntos) uma sobremesa que ainda não foi criada, brincar de balanço, passear no parque, ler um conto pra dormir, cantar aquelas músicas de ninar que você cantava pro seu filho e ouviu da sua mãe que ouviu da sua vó que ouviu... Ufa! (risos). Quando surgiu a ideia ‘vamos fazer um Disney Cruise juntos?’, a gente vibrou! ‘Pro Alaska?’, quase não acreditamos! 

VOVÔ, VOVÓ E NETINHOS... NA DISNEY!

Foram três meses de planejamento e preparativos. A uma certa altura, nos víamos e falávamos diariamente. Os netos dando pulinhos e eufóricos do lado de lá do monitor e os avós rindo à toa, do lado de cá. Chegou o dia do embarque (nem dormimos!), a chegada a San Diego, a recepção. Agora eram os netos que riam à toa, apresentaram um show com roupas de papel crepom e  uma exposição na galeria-corredor da casa com suas mais exclusivas obras de arte! Passamos juntos a primeira semana das férias deles, em casa, fazendo o aquecimento para as grandes aventuras: piquenique no quintal, banho de sprinkler no jardim, pintura à guache, amarelinha, esconde-esconde,  sessão de contação de histórias, balanço na árvore, cortar grama... Os dias passavam e a gente nem percebia. E aí chegou a hora do cruzeiro! ‘Bora pra Vancouver pegar o Disney Wonder mais toda a turma de Mickey e Minnie!’ Foram sete inesquecíveis dias, vendo ilhas de pinheiros a perder de vista, geleiras, icebergs, faróis de cartão postal, luas e sóis e estrelas, céuzão e marzão, cidadezinhas da época da Corrida do Ouro, ursos, renas, focas e baleias. Viajar com Maya e Leo, uma experiência tão gostosa e inesquecível para eles como para nós, os avós-marmanjos, que voltaram a viver aquela deliciosa infância!  

 
 
 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Veja também

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Últimas Lidas Sobre Cidadão do Morumbi