Amor e ano novo: faça diferente

Amor e ano novo: faça diferente
Muita gente acha uma chatice as festas de réveillon. Outras consideram o Natal uma rotina – e a mesma coisa pensam do Dia dos Pais, Mães, Namorados, Criança e todas as outras datas festivas que têm presença garantida no calendário. 
Na verdade, tudo na vida pode se tornar uma rotina – ou não. Só depende de você.
 
Por exemplo: qual é o plano para o próximo réveillon?
 
Se não for absolutamente inovador, esqueça-o e pense em outra coisa. Saia do quadrado, como se diz em criatividade. Quebre convenções, renove os hábitos e mude paradigmas, sem se importar com aquilo que os outros poderão pensar. Se você, o parceiro e os filhos estiverem de acordo, vá em frente.
 
Sem dúvida é preciso ter uma boa dose de coragem e energia para pôr em prática essas mudanças, porque as opiniões contrárias e as críticas virão de vários lugares. Mas lembre-se de que a festa é sua e portanto ponha para tocar a música que você gostará de dançar com seu amado.
 
E atenção: esses comentários são válidos também – e principalmente – para a vida a dois. A relação amorosa pode ser um repeteco interminável do primeiro dia, um “replay” diário do começo – e aí não há paixão que resista a tanta mesmice. Quando isso acontece, está aberta a porta para uma visita indesejada e que, uma vez instalada na sua casa, demora muito para ir embora: chama-se rotina, o mais eficaz anti-afrodisíaco de que se tem notícia.
 
As pessoas mudam e, assim, ganham novas expectativas, desejos e fantasias. O amor precisa de renovação constante e isso não significa trocar de parceiro a toda hora. 
 
Significa mudar o ficar com o mesmo parceiro. E, para esse objetivo, sinta-se à vontade para colocar sua imaginação a todo vapor: não há limites para a criatividade, além daqueles que respeitam a individualidade, a sensibilidade e os direitos do parceiro.
 
Não estou falando só de sexo, mas de cada momento de interação do casal. A vida a dois precisa ser alegre, divertida e cada parceiro precisa fazer com que o outro se sinta amado e que cada minuto passado juntos sempre vale muito a pena. 
 
Em nenhum segmento da vida, ninguém pode simplesmente sentar e ficar vendo a vida passar, porque, se o fizer, acabará se transformando num cogumelo. Há coisas belíssimas, úteis e gostosas para se fazer, principalmente a dois.
 
Agora, se não mais lhe restar nenhuma vontade, energia e motivação para realizar essas mudanças que tornarão a relação amorosa mais gratificante, talvez tenha chegado a hora de fazer uma mudança mais radical, quem sabe? 
 
O início de um Novo Ano é um bom momento para conversar com o outro e planejar o começo de uma nova maneira de viver o amor.
 
 
                                                             
 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi