Os principios não admitem emoções

Como as mulheres podem definir metas sustentáveis e realizar escolhas inteligentes.
 
A vida é feita de escolhas e tomar as decisões que irão definir a nossa felicidade é um ato complexo para todo ser humano, mas para as mulheres escolher representa um dasafio ainda maior, pois significa organizar-se, conciliar o tempo e decidir o que é melhor em cada momento.
Momento mãe, filha, irmã, amiga, esposa, atleta, profissional, seja qual for,  toda mulher quer ser reconhecida, respeitada e feliz nas mais diversas áreas da vida.
No entanto, aprendemos desde criança que não podemos ter tudo, um dia precisamos fazer escolhas desafiadoras. E esse dia aconteceu para mim também. 
Comecei a minha carreira como palestrante com o objetivo de ajudar o maior número de pessoas a acreditar em sua capacidade de realizar e obter Resultados Sustentáveis, e aos poucos vi esse sonho se transformar em realidade.  O conteúdo das palestras estava fazendo a diferença na vida de empresários, diretores e funcionários, todos ficavam impactados e recomendavam o meu trabalho uns aos outros, e quando me dei conta estava com a agenda lotada de eventos, completamente envolvida e encantada pela minha missão profissional.
Com isso o meu tempo com minha família diminuiu, eram muitas viagens. Na época os meus filhos eram pequenos e então vieram as cobranças por parte deles, até que um dia o meu marido conversou comigo e me colocou “contra a parede”.  Eu precisava fazer uma escolha: era o meu trabalho ou a minha família, porque do jeito que estavam, as coisas não poderiam continuar. 
E agora? Pensei. Estava num grande conflito interno, pois como eu vou abandonar o meu sonho? Como posso abrir mão de algo que é tão importante para mim e que me sinto tão realizada?
Avaliando a minha meta, percebi que não tracei uma estratégia orientada para resultado sustentável, eu queria alcançar o meu sonho e cumprir a minha missão, mas estava violando o princípio mais importante da minha vida: a minha família. 
Foi quando mudei a qualidade dos meus questionamentos internos e comecei a pensar  em soluções diferentes, em uma meta que fosse boa, não apenas para mim, mas para todos que faziam parte da minha história. Eu não estava confortável em abrir mão de nada. Parei de me perguntar porque aquilo estava acontecendo e fiz a pergunta-chave: ‘como eu poderia fazer para conciliar essas áreas da minha vida?’ Descobri que talvez eu não precisasse escolher entre uma coisa ou outra, eu poderia ter as duas, mas de formas diferentes. 
Redefini minhas estratégias e decidi criar um banco de palestrantes e convidar os melhores do Brasil para serem meus parceiros e contribuir com minha missão. O que antes representava uma ameaça, passou a ser a melhor solução para minha carreira como empresária. Em parceria com esses conferencistas, percebi que o resultado pode ser ainda maior. Os meus filhos cresceram, com isso minha agenda ficou menos limitada e agora junto com minha família eu decido quais são os eventos fora de São Paulo ou internacionais que posso ou não realizar, respeitando o meu maior princípio e valor que é a estrutura familiar. 
Às vezes é realmente necessário escolher entre uma coisa ou outra, mas às vezes precisamos pensar que a nossa escolha possa ser simplesmente encontrar soluções para termos as duas coisas.
Tudo é uma questão de princípios e valores. O que é realmente importante? 
Se o nosso maior desafio como mulheres está em realizar escolhas que nos façam verdadeiramente felizes, precisamos definir quais são os princípios que regem essas escolhas e, uma vez definidos, esses princípios não admitem emoções, eles são invioláveis!  

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi

Últimas Lidas Sobre Cidadão do Morumbi