Ongs

Meninas da Copa!

Elas são lindas, inteligentes e delicadas. Quem olha para elas e não sabe com o que elas trabalham, poderiam apostar na carreira de modelo. Mas, elas não são apenas rostinhos lindos que brilham nas telinhas. 

Elas falam sobre futebol, elas comentam futebol e o principal, elas sabem do que elas estão falando! Foi-se o tempo em que Copa do Mundo era assunto apenas nas rodas dos meninos.


E aqui você confere a opinião delas, sobre o evento mais polêmico dos últimos tempos.



 

Renata Saporito

Renata Saporito

32 anos, não sai dos estádios, e não apenas a trabalho, já que começou a se interessar pelo jornalismo esportivo antes mesmo de terminar a faculdade. Mas, quando o assunto é futebol e fanatismo, Renatinha, como é conhecida pelos colegas, não esconde sua paixão: é são-paulina roxa. “Meu amor pelo futebol nasceu comigo! Venho de uma família muito fanática pelo esporte e vou ao estádio desde criança com meu pai. Nunca faltei a uma final de Libertadores!”, conta Renata que apresentará boletins diários durante todo o mundial no Bandsports.
 


 

A mulher ocupa hoje um cenário que já faz parte do futebol, se ela consegue provar que é capaz, o preconceito fica de lado.”

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • 



 

Gabi Pasqualin

Gabi Pasqualin

Loirinha e com jeitinho de menina, Gabi Pasqualin entende de futebol desde pequena, quando se tornou palmeirense ao disputar partidas em casa com o irmão mais velho e corintiano. Aos 32 anos, a mãe do pequeno Felipe, já tem 10 de jornalismo esportivo. “Sou torcedora de verdade! Em 2008 saí do aeroporto, com uma mala gigante e fui direto para o estádio para assistir à final do Palmeiras contra a Ponte Preta”, relembra. Durante a Copa, Gabi continuará no comando de dois programas de esporte e cobrirá os treinos da seleção de Portugal pela Redetv!.
 

 
 
Como brasileira e apaixonada por futebol, aposto no Brasil, principalmente no talento individual do Neymar! Mas temos que ficar de olho na Alemanha e Argentina.”
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • 
 


 

Paloma TocciPaloma Tocci

Mais uma mulher que se destaca no futebol é a jornalista Paloma Tocci. Durante a Copa sua vida pessoal vai deixar de existir. Desde o dia 25 de maio ela já entrou totalmente no clima do mundial e sua “nova casa” é onde a seleção brasileira estiver concentrada ou jogando, ao lado da equipe Band. A paixão pelo esporte também começou cedo, mas quando o assunto é fanatismo, Paloma é mais controlada: “Não tenho time no Brasil, torço pelo Real Madrid já que minha mãe nasceu na Espanha, minha avó só fala espanhol e eu estudei a vida toda em colégio de língua espanhola onde sempre tive incentivo para o esporte”, explica a morena.
 

 
vou com o Brasil até o fim! Vou torcer muito e acho que o fator ‘casa’ é um aliado, como vimos no ano passado na copa das confederações!”
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • 
 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi