Beleza

Finanças para crianças

Controlar as finanças domésticas nos dias de hoje requer muito cuidado e habilidade. E se tiver criança em casa, o trabalho é muito mais difícil. 

Afinal, com o acesso que elas têm ao mundo do consumismo fica comum ouvirmos o “compra isso, compra aquilo” o tempo todo.

Alguns pais, cansados de dizerem não aos filhos, resolveram de uma forma “adulta” explicar aos pequenos o motivo pelo qual negavam tantos pedidos e parece que funcionou. Pelo menos para a pernambucana Adriana Dutra, mãe de Gabriela, de 18 anos, e de Maria Vittória, de 3 anos, a explicação deu certo. “Ensinei à Gabi desde pequena a importância de economizar. Abri uma poupança para ela e quando compramos nosso primeiro apartamento, foi ela quem pagou os documentos. Agora em julho, ao completar 18 anos, ela foi para a África e levou o dinheiro que ela guardou para gastar lá. Com a Maria Vittória já estou fazendo o mesmo, e o cofrinho dela já está cheio”, conta Adriana.

 

 

Especialistas apostam nas aulas de finanças desde cedo. E o cofrinho, diferente de antigamente, onde o dinheiro ficava ali sendo guardado às vezes por anos, hoje serve como uma “carteira”, onde a criança deixa suas moedas para quando quiser comprar algo como um sorvete ou um brinquedo. Pedro Alves aprendeu desde pequeno a juntar e criar metas.

 

Hoje, aos 11 anos, já conseguiu comprar até um smartphone de última geração com o dinheiro que juntou. “No meu aniversário, no dia das crianças ou quando alguém queria me dar algum presente, eu sempre dizia que poderia ser em dinheiro e aí eu ia guardando. Minha mãe me ajudou nisso”, conta o garoto que pretende ainda conhecer o Japão com suas economias.

 

 

Mas, nem só de cofrinhos vivem as finanças das crianças e dos adolescentes. Quem nunca recebeu mesadas ou semanadas? Amadeu Guerra, que criou sozinho os dois filhos, também se orgulha de ter ensinado o que ele acredita ser a melhor maneira de lidar com o dinheiro. “Fiquei viúvo muito cedo e quando me casei novamente resolvi apresentar aos meus filhos e à minha esposa as despesas da casa e o meu salário. Negociei 10% do que sobrava depois de pagar todas as contas e dividia entre eles. Acho que deu certo”, orgulha-se o aposentado. A filha mais velha, Vanessa Guerra Manton, concorda com o pai e diz que hoje sabe controlar muito bem as despesas de casa e de sua família. “O dinheiro dos adultos deve durar o mês todo, e nós, na época com uns 8 anos, já tínhamos que entender que o nosso também deveria ser assim”, comenta a educadora física que, quando começou a estagiar, passou a ajudar nas despesas de casa. “Eu sabia controlar direitinho, tanto que às vezes sobrava  para o outro mês e chegava até a emprestava para o meu irmão”, relembra.

 

Segundo a psicóloga Renata Yamasaki, cada família tem uma maneira de explicar a importância do dinheiro para as crianças, mas vale lembrar que jamais o carinho, o afeto e a atenção podem ser substituídos pelos bens materiais. “Pais que trabalham muito, às vezes tendem a presentear os filhos para compensar essa falta”.

 

8 dicas para ensinar finanças ao seu filho

 

1) Mostre os preços dos produtos no mercado, por exemplo, e ensine como compará-los

2) Diga para ele a diferença entre desejo e necessidade

3) Se você dá mesada/semanada para ele, dê ideias de como administrar e economizar a quantia

4) Pais que remuneram o filho por alguma ajuda em casa não devem dar grandes quantias para que os afazeres domésticos não virem um “negócio”

5) Evite os “empréstimos” para que a criança não ache que os pais sempre terão dinheiro quando o dela acabar

6) Se for levar dinheiro para o lanche na escola, peça que compare os preços para que saiba o que é mais vantagem comprar

7) Não esqueça que os filhos seguem exemplo dos pais, por isso, administre bem suas finanças também

8) Se seus filhos já cresceram, nunca é tarde para aprender a economizar e vale a pena sentar e conversar com eles sobre o assunto

 

Comentários (1)

500 caracteres restantes

Cancel or

  • Amadeu Guerra
    Karina. Só agora sentei-me na frente do meu PC. E agradeço sua referência à mim e à Van. Saúde a todos.

Veja Também

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi