Cultura & Lazer

Terra, solo, chão...

A arquiteta Eliane Queiroz fala sobre um dos quatro elementos: a terra. Veja as dicas dela para não jogar disperdiçar dinheio na hora de realizar uma obra.


Terra, solo, chão...
NIVELAMENTO DE TERRENOS
Para não jogar dinheiro fora e ainda correr o risco de não ter um projeto eficiente, sempre contrate um topógrafo para fazer o levantamento do terreno e uma sondagem para dar suporte ao projeto de estrutura. Movimentar terra é dispendioso. Se o orçamento estiver apertado, escolha adaptar o projeto ao terreno. Se isso estiver fora de questão, crie platôs separados por taludes que evitarão a construção de muros de arrimo. E se a contenção da terra for sua única opção, preocupe-se com a impermeabilização dos muros e drenagem do terreno. Esses itens vão determinar a “saúde da sua construção” tanto no sentido da conservação da estrutura, quanto de tudo que houver dentro do prédio, inclusive seus usuários.
 
 
 
REVESTIMENTO SOBRE A TERRA
Nos centros urbanos a drenagem do solo é um problema delicado em função das grandes áreas asfaltadas ou cimentadas. Sempre que possível use pisos que possibilitam a drenagem, assentados diretamente sobre a terra muito bem compactada para que não se deformem. Elementos vazados entremeados com grama só devem ser usados fora da circulação de pessoas ou autos. Para usá-los em áreas de circulação preencha os espaços com pedriscos, seixos, areia ou até cascas de árvore envernizadas. Isso também resulta em excelentes bases para jardins internos.

 
• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • 

Terra, solo, chão...


PAREDES DE BARRO 
As mais comuns são as feitas com tijolo de barro misturado com fibras. É um excelente isolante térmico. Precisa ser impermeabilizado após o assentamento. Mas a mais interessante é a parede de “pau a pique” que é basicamente feita com uma treliça de galhos finos revestidos de barro. O resultado é lindo para usar numa casa de campo ou praia (no último, que tal acrescentar conchas?).
 
JARDIM
Para os externos a preocupação principal deve ser a composição da terra de acordo com a vegetação desejada. Lembramos apenas que as folhas coloridas precisam de sol, as flores de luz, mas sem sol direto e na sombra só sobrevivem as folhas verdes escuras (nem todas!). A irrigação com sensor de umidade é a solução mais ecológica, pois não desperdiça água.
 
CORES
Para os jardins internos o cuidado deve ser também com a impermeabilização e drenagem. Hortas são sempre um bom investimento tanto em relação à saúde da alimentação quanto no sentido de aliviar o stress.Use e abuse dos tons de terra. Assim como na natureza, eles podem sempre ser a base.
 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

Veja Também

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi