Moda

Castanha do bem

Ela pode ser consumida de diversas formas: torrada, moída, em forma de farinha, in natura e nas mais variadas receitas.

Atualmente chamada de ‘Castanha-do-Brasil’, a conhecida ‘Castanha-do-Pará’ tem alto valor proteico e ainda possui selênio, um mineral que exerce importante ação antioxidante no nosso corpo.
Em entrevista à Dolce, a Nutricionista Funcional, Esportiva e Personal Diet da Academia Contours Morumbi, Dra. Carina Amorim, fala mais sobre essa pequena delícia.

Quais são os principais benefícios do selênio no nosso organismo?

Ele exerce importante ação antioxidante, controlando os radicais livres, compostos capazes de danificar diversas estruturas celulares quando em excesso. Mantém o bom funcionamento da tireoide, pois auxilia na transformação do hormônio tireoideano T4 em sua forma ativa (T3) e ainda liga-se a metais pesados e substâncias tóxicas ajudando o organismo a expulsar essas substâncias estranhas das nossas células. É importante também para o bom funcionamento do sistema imunológico, aumentando a resistência do indivíduo a infecções. Diversos estudos demonstram que esse mineral auxilia ainda na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como o diabetes, câncer, aterosclerose, Alzheimer e até mesmo infertilidade masculina.

Além do selênio, a castanha oferece quais outros benefícios?
Ela rica em gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas essenciais para proteção contra doenças cardiovasculares, contém cálcio e magnésio, minerais que mantém a saúde óssea em dia. Possui também zinco, vitamina A, complexo B (B1, B2, B5) e fibras.

Qual a porção e a frequência ideal para consumo?
A castanha pode ser consumida diariamente, mas com moderação. Duas por dia já é o suficiente para suprir as necessidades diárias de selênio e obter os benefícios citados anteriormente.

Se consumida em excesso pode trazer algum problema?
Pode, pois um grama de Castanha-do-Brasil pode conter entre oito e 126mcg de selênio e a ingestão diária, recomendada para um indivíduo adulto, é de 55mcg. Esse mineral, se consumido em excesso, pode ser tóxico para o organismo causando sintomas como dores de cabeça, unhas fracas e com manchas brancas, queda de cabelo e odor semelhante ao de alho exalado pelas vias aéreas.

Em quais outros alimentos o selênio está presente?

Semente de girassol torrada, farelo de trigo e farinha de trigo integral, camarão, caranguejo, salmão, frango, alho cru, cogumelos, amêndoas e avelãs.

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or

REVISTA DOLCE

Edições anteriores

Veja as edições anteriores da revista Dolce Morumbi