Mereça os espaços de sua vida para se divertir, sorrir, amar e ser muito amada!

Pamela Magalhães

CRP : 06/88376

A Psicóloga Pamela Magalhães escreve nesta coluna quinzenalmente respondendo a perguntas enviadas por leitores e leitoras ao e-mail [email protected].
Você pode enviar suas perguntas para a Pamela também através do formulário ao final desta página.
São selecionadas três perguntas e a
s pessoas que tiverem as suas escolhidas, tem suas privacidades totalmente preservadas.

Dolce Morumbi

Há mais de vinte anos que cortei laços com a minha irmã mais velha, sofri muitas humilhações maus-tratos, relacionamento abusivo, fui e sou muito criticada por ter tomado essa decisão, pois moro em uma cidade pequena. Mas hoje consigo viver melhor, não tenho raiva nem ressentimento, mas também não quero aproximação, estou errada por agir assim? (A.)

Sua mensagem me toca profundamente, há um grande tabu, quando se fala de relação abusiva na família. Para muitos, constatar que um familiar seja abusivo e então, romper com ele é algo inadmissível. Mas, a verdade é que ninguém precisa aguentar maus tratos de ninguém, mesmo sendo um membro da família, se for preciso, se afaste. Sabemos que não será fácil, sentimentos como culpa e retaliação de muitos pode acontecer, mas conseguir ser forte o bastante para se proteger e se preservar é algo nobre e o melhor a fazer pela sua saúde emocional e até física.

Designed by Freepik

Tenho 37 anos e a um ano me envolvi com uma cara casado, um casamento até então de fachada até que ele contou para a família o que estava acontecendo com o casamento e conosco, e foi aí que tudo entre nós começou a acabar, a família dele caiu matando e os filhos pequenos foram para longe. Depois acabaram voltando para casa e foi aí que ele começou a se afastar. Cortei qualquer tipo de contato, apesar de trabalharmos no mesmo lugar. Sei que ele não é o cara para mim, mas não consigo deixa de sentir, de sofrer e de chorar pela falta que ele me faz, já tentei diversas vezes me afastar, separar e deixar de sentir. Mas, por mais que eu tente me esforce, que minha mente diga ao meu coração eu não consigo, meu peito dói de dor física mesmo, minhas mãos tremem, fico dias sem comer, sorrir e alegria já não sei o que é só uma imensa vontade de dormir e esquecer que a vida existe! Gostaria muito de uma palavra sua. (M.G.)

Minha querida, ninguém pode ser mais importante que você, para você mesma. Enquanto lia sua mensagem, pensava sobre quem seria você, qual seria sua profissão, as alegrias da sua vida, seu propósito, amigos e principalmente, o que você acredita merecer e o que teria feito você se envolver com alguém casado. Não que eu seja contra, mas quando alguém se apaixona por uma pessoa que não está disponível, sempre me faz refletir sobre os lugares que ocupa no mundo. Nem te conheço, mas já acho que você é merecedora de grandes espaços na sua vida! Presenças fartas e principalmente, de um amor tranquilo que transborde proporcionalidade, reciprocidade e muita felicidade. Até porque, você veio a esse mundo para sorrir muito! Se divertir, amar e ser muito amada.

Designed by svetlanasokolova-Freepik

Sou casada faz 23 anos e sempre vivemos muito bem. Não tivemos filhos, mas de um ano para cá meu esposo que era maravilhoso virou um monstro, traições, de educado passou a ser um ser humano sem educação, estou sofrendo demais. O relacionamento dele com minha mãe era ótimo, e hoje ele mal olha na cara dela. Triste demais, chego a pensar que fizeram mal para nosso casamento, pois as pessoas sempre disseram que éramos o casal perfeito. Estou arrasada, se não fosse Deus já tinha enfartado de tanta tristeza afinal 25 anos no total é muita história. (L.H.)

Posso imaginar a situação dolorosa que você esteja vivendo. Além da conversa que precisa existir entre vocês, para que você vá pouco a pouco contando sobre o que esteja sentindo, penso que investigar a possibilidade de alguma doença tanto psíquica, quanto degenerativa, seja importante. Segundo o seu depoimento, a mudança foi bastante repentina, o que sugere algum quadro de adoecimento. Mas, muito além de hipóteses diagnósticas, avalie a relação como um todo, não apenas o que você deseja dela, idealiza ou se acostumou a ver sobre ela, mas como ela é. Existem insatisfações que vão sendo pontuadas, mas resistimos em enxerga-las, pois não suportamos e tememos a necessidade de mudanças e apenas quando transbordam que somos obrigados a realizar a sua existência.

Designed by javi_indy-Freepik

Para a Pamela, seus sentimentos são a sua história.

Quer enviar sua pergunta para a Pamela? Preencha o formulário abaixo ou envie para o e-mail
[email protected]
Três perguntas são selecionadas a respondidas a cada quinzena

Participe! Envie seu comentário ou sua pergunta para Pamela.

Pamela Magalhães é Psicóloga, Especialista Clínica e Terapeuta de Casal e Família.
Bastante influente nas mídias em geral, ficou conhecida como Especialista em Relacionamentos pelos seus quadros no Programa Mulheres da Tv Gazeta e Tribuna Independente da Emissora Rede Vida e movimenta uma rede de seguidores de mais de 630K nas redes sociais em especial no instragram como @psipamela
Além de comentarista de comportamento e Psicóloga Clínica, realiza palestras em todo Brasil e comanda o podcast Coração Peludo na plataforma da Jovem Pan. CRP:06/88376

Imagem destacada da Publicação:
Designed by halayalex-Freepik

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Artigos recomendados