Parassonias na infância

Cynthia Passianotto

Sonambulismo, terrores noturnos, pesadelos, enurese noturna (fazer xixi na cama) e paralisia do sono são exemplos de parassonias na infância. Saiba mais sobre os principais distúrbios do sono:

Terrores Noturnos

Durante a noite, de repente, a criança começa a gritar e se debater, com expressão assustada. Estes episódios são denominados terrores noturnos. Atingem crianças entre 1 e 5 anos com maior frequência e, na maioria das vezes, o tratamento baseia-se na tranquilização por parte dos pais. Medicamentos raramente são necessários.

Despertar Confusional

O despertar confusional, como já diz o nome, ocorre quando a criança “desperta” em estado de confusão mental, desorientação, acompanhado muitas vezes de gritos e choros. Na realidade, a criança ainda está dormindo. Os episódios duram de 5 a 15 minutos, e não é recomendado acordar a criança durante estas crises.

Enurese Noturna

A enurese noturna, conhecida popularmente como “xixi na cama”, é a parassonia mais comum e prevalente entre crianças. Antes dos cinco anos, os episódios de xixi na cama não são considerados preocupantes. Entretanto, após esta idade, a criança já deve ter controle total sobre sua bexiga.

Se seu filho não consegue conter sua micção noturna após os cinco anos de idade, é provável que ele sofra de enurese noturna. A boa notícia é que existem diversas possibilidades de tratamento para esta condição.

Bruxismo

O bruxismo é o ato da criança ranger os dentes durante o sono. Trata-se de um distúrbio comum do sono que, quando muito intenso e não tratado, pode resultar em dor, desgaste e fratura dos dentes.

Sonambulismo

O sonambulismo é o ato do indivíduo de sentar, caminhar ou realizar atividades complexas em geral enquanto dorme, normalmente com os olhos abertos, mas sem evidência de reconhecimento. A condição abrange uma alteração da consciência, onde os estados de sono e vigília da criança ocorrem simultaneamente.  

Crianças que apresentam privação do sono, ausência de higienes do sono e fatores genéticos configuram grupos de risco para o desenvolvimento do sonambulismo. O mesmo pode ser decorrente de fatores que provocam despertares do sono, tais como substâncias estimulantes e comportamentos prejudiciais ao sono.

O sonambulismo não se trata de uma condição propriamente perigosa, mas pode levar a criança a situações perigosas, como se machucar em paredes, móveis ou escadas.

Os episódios de sonambulismo têm duração de 5 a 15 minutos e podem ocorrer em lactentes e crianças na idade pré-escolar e escolar. Geralmente, na manhã seguinte, ao acordar, a criança não se lembra do episódio de sonambulismo que vivenciou.

Seu filho sofre com parassonias? Diante dos sintomas apresentados, marque uma consulta com o neurologista infantil de sua confiança, para obter um diagnóstico preciso e dar início ao tratamento adequado, a ajuda de um psicólogo infantil também é fundamental

para o acompanhamento adequado e possibilita o acesso dos pais às orientações básicas para saber lidar e conviver com os episódios de parassonia na infância, além de ser um fator fundamental no controle e no tratamento dos transtornos.

Cynthia Wood Passianotto  é psicóloga e escreve quinzenalmente na Dolce Morumbi. Acompanhe a Cynthia também em suas Redes Sociais: @cynthia_wood_passianotto @crescendoeacontecendo

Imagem destacada da Publicação

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

vinheta-dolce-setembro21-banner-(1)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(2)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(3)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(4)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(5)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(6)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(7)
vinheta-dolce-setembro21-banner-(8)
Anterior
Próximo

Artigos recomendados