Noite bem dormida pode ajudar a tirar notas boas!

Dormir mal atrapalha os estudos e rotina desregrada pode prejudicar o aprendizado das crianças

Os dias de férias são sempre uma delícia, difícil mesmo é conseguir voltar à rotina. Com o início das aulas, alguns pais sentem mais dificuldade de fazer seus filhos dormirem cedo. Porém, manter uma rotina regrada de sono faz toda a diferença na hora de voltar aos estudos. Um bom descanso, cerca de 8 horas por dia, é uma das maiores fontes de energia para o corpo humano.

Não é mito. Durante o sono, nosso cérebro processa tudo que aprendemos e vimos durante o dia, além de ser neste momento que nosso corpo repõe as energias. Por isso, a conta é simples: sem energia e com um acumulo de sono e cansaço fica mais difícil manter o foco no que está sendo dito pelos professores, além de ser quase impossível fixar a matéria ensinada.

Segundo a pedagoga Marizane Piergentile, diretora da Rede Adventista da região do ABC e Baixada Santista, dormir antes das 22h é fundamental já que é neste período que o corpo produz endorfina e hormônio do crescimento.

Há ainda inúmeros estudos que podem comprovar o menor desempenho dos alunos que acabam trocando o dia pela noite. “Algumas crianças precisam dormir de 8 a 10 horas. Reduzir o tempo de sono não interferem só na concentração, como também no humor e na disposição das crianças. Tudo isso pode acarretar em um mal comportamento, dificuldades sociais e a as famosas notas baixas” explica a pedagoga.

O jantar também deve ser levado em conta. “Refeições pesadas ou comer e na sequência ir para a cama podem tirar o sono”, complementa. Até a luz do ambiente pode interferir na hora de dormir. Uma dica importante é substituir a lâmpada do abajur por luz amarela, que induz ao sono. Além disso, o uso de eletrônicos nos horários que antecedem o momento de dormir causam uma aceleração cerebral.

Para Marizane, o ritmo das crianças segue praticamente o mesmo dos pais, que devem se policiar para não deixar a vida corrida atrapalhar os estudos das crianças. “Existem várias saídas que podem ser usadas. Uma delas é colocar regras, mesmo sem que a criança saiba, em alguns horários, como por exemplo o momento de tomar banho e a hora do jantar. Com o tempo isso se tornará parte da rotina e o resultado no desempenho de ensino será visível. Além dos estudos e comportamento na escola, a prática de sono regrado pode melhorar a saúde e o crescimento das crianças”, conclui.

Colaboração do texto

Artigos recomendados