Um são-paulino raiz!

Ele nasceu muito pequeno e franzino, então passaram a chamar a criança de “um tiquinho de gente” e por isso mesmo acabou ganhando o apelido de Tiquinho. Seus pais, preocupados, o colocou para fazer exercícios e cuidar de seu desenvolvimento. O tempo foi passando e os cuidados dos pais foram dando resultado e ele cresceu, encorpou e o apelido não cabia mais. Não restou alternativa à família e amigos que não fosse atualizar o apelido carinhoso. Então José Carlos Magno Alves, hoje com 64 anos, se tornou o “Ticão”. É assim, pelo menos, que todos no São Paulo FC o conhece.

Ele sabe que nasceu também são-paulino pois tem na memória que desde criança frequentava o clube na companhia do pai em vários eventos, entre eles, se lembra de uma vez que brincava embaixo de uma mesa onde seu pai era justamente mesário no futebol social. Nas atividades esportistas, frequentou o judô aos 9 anos e chegou a conquistar um 3º lugar no campeonato paulista, na época disputado no ginásio do Palmeiras. Também foi companheiro de time do Muricy quando disputaram campeonatos internos.

José Carlos Magno Alves, o Ticão

Número do candidato para o Conselho Deliberativo:
111 – Ticão – José Carlos Magno Alves

Entre a adolescência e o início da fase adulta, afastou-se um pouco do clube por conta de seu trabalho que muitas vezes exigia que viajasse. Voltou a frequentar já casado e justamente levando os filhos, assim como seu pai fizera com ele. Um dos seus filhos começou a jogar no futebol interno então ele passou a acompanhá-lo, levando seu filho aos jogos e em certa ocasião, seu time chegou a ser campeão interclubes. Nessa história toda, Ticão acabou também participando das atividades no futebol interno por 20 anos onde começou na categoria C indo até a G, e mais recentemente jogava o “rachão” com a Turma da Quinta.

Já esteve no Conselho Deliberativo durante a gestão de Juvenal Juvêncio e hoje exerce uma vaga que se abriu por conta do falecimento de um antigo conselheiro. Durante este período ele atuou como assessor da Diretoria de Voleibol Profissional e lembra do título paulista que ganharam.

Ticão busca se reeleger no conselho pela chapa Grafite que apoia Julio Casares para a Presidência, e vê que há muito a se fazer e apoiar para que o clube possa desenvolver atletas na base, seja no futebol ou nos esportes amadores. Mas vê também que é preciso desenvolver e melhorar a parte social do clube e dar uma devida importância aos sócios, levando-os a participar mais em decisões de comando do clube, como por exemplo, tê-los votando diretamente para eleger um presidente. Ele entende que o sócio tem no clube uma extensão de sua vida familiar e que nele seus filhos acabam tendo uma formação para a vida toda. Portanto vira um espaço de convívio e desenvolvimento educacional e cívico concreto que vai além de torcer para o time de futebol.

Sua experiência no conselho e seu relacionamento no clube de longa data lhe dá uma visão interna bem ampla e ele consegue enxergar onde há questões que precisam ser tratadas. É por essa vivência, conhecimento e sapiência dos corredores do clube, Ticão é muito respeitado e suas opiniões levadas a sério.

Com a Família: Rodrigo, sua esposa Cleide e Bruno

É um homem de família. Há 40 anos casado com Cleide com quem tem três 3 filhos. Carla, Bruno e Rodrigo. No clube, Carla já esteve no atletismo, Bruno era de frequentar mais social e hoje o papel de atleta é do Rodrigo, que joga futebol social desde pequeno e na sua trajetória já foi campeão por quatro vezes em campeonatos internos.

Ticão se vê presente no dia a dia do clube de uma forma ativa e participativa. É como entende que deve ser um conselheiro para o São Paulo Futebol Clube.

Imagem destacada da Publicação

Imagens cedidas por Ticão

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Anterior
Próximo
Slider

Artigos recomendados

1 Comment

  1. Ticão
    Você poderia informar qual foi sua posição nas várias questões onde o Conselho foi solicitado a participar. Isso ajudaria, com certeza, a mostrar sua posição para os próximos anos. Um abraço.


Comments are closed for this article!