Ser mãe ou pai de si mesmo

Reconhecer e validar suas próprias necessidades emocionais e desenvolver habilidades para se cuidar de forma holística

Imagem de Freepik

Por Giuliano Milan

Ser mãe ou pai de si mesmo é um processo de autoconhecimento, autocuidado e autocompaixão que permite a indivíduos que tiveram experiências de parentalidade ausente, distante ou pouco afetiva na infância, cultivar um senso de segurança, amor e aceitação interna. Este processo envolve reconhecer e validar suas próprias necessidades emocionais, aprender a se confortar e se motivar, e desenvolver habilidades para se cuidar de forma holística.

Reconhecimento e aceitação

Validar suas experiências: reconheça e aceite suas experiências de infância sem julgamento. Entender que suas necessidades emocionais podem não ter sido totalmente atendidas é o primeiro passo para a sua cura.

Conscientização emocional: permita-se sentir suas emoções plenamente, identificando o que você sente e por quê. Isso pode envolver revisitar memórias dolorosas com compaixão e compreensão.

Autocompaixão e cuidado

Prática de autocompaixão: trate-se com a mesma gentileza, preocupação e apoio que você ofereceria a um amigo querido ou uma criança. A autocompaixão é crucial para curar feridas emocionais.

Cultive o diálogo interno positivo: transforme críticas internas severas em diálogos de apoio e incentivo, como faria uma mãe ou pai amoroso.

ImagemFoto de Dingzeyu Li na Unsplash

Estabelecimento de rotinas de autocuidado

Crie rituais de autocuidado: estabeleça rotinas que promovam seu bem-estar físico, emocional e mental, como meditação, exercícios físicos, hobbies e tempo de qualidade sozinho ou com pessoas que te apoiam.

Estabeleça limites saudáveis: aprenda a dizer não e a estabelecer limites que protejam seu bem-estar emocional, assim como sua mãe ou seu pai faria para proteger seu filho.

Desenvolvimento de independência emocional

Autoeducação: busque recursos, livros e workshops sobre desenvolvimento pessoal, inteligência emocional e autocura. O conhecimento é uma ferramenta poderosa de mudança.

Procure apoio emocional: terapeutas e profissionais da área da saúde podem oferecer orientação e apoio valiosos na sua jornada de se tornar mãe ou pai de si mesmo.

Construção de uma rede de apoio

Cultive relacionamentos saudáveis: busque amizades e parcerias que ofereçam apoio emocional, compreensão e amor incondicional.

Comunidade e pertencimento: envolva-se em comunidades, grupos de apoio ou atividades que ressoem com seus valores e interesses, onde você pode se sentir visto e valorizado.

Prática de gratidão e meditação

Mantenha um diário de positividade ou gratidão: regularmente, anote as coisas pelas quais você é grato ou momentos positivos do seu dia, incluindo suas próprias qualidades e conquistas.

Pratique meditação: a atenção plena ajuda a viver no presente, reduzindo preocupações com o passado e ansiedade sobre o futuro.

Continuidade e crescimento

Celebre suas conquistas: reconheça e celebre cada passo que você dá em direção a se tornar mais autossuficiente e emocionalmente resiliente.

Permita-se evoluir: Lembre-se de que o processo de se tornar mãe ou pai de si mesmo é contínuo e que cada experiência, seja desafiadora ou gratificante, contribui para o seu crescimento pessoal.

Adotar a postura de mãe ou pai de si mesmo não significa negar ou substituir as relações que você teve, mas sim complementá-las, fortalecendo para si o amor, cuidado e suporte que você merece. É um caminho poderoso para curar feridas do passado e construir um futuro mais saudável e feliz.

Giuliano Milan é um empresário, escritor e palestrante com uma paixão profunda por meditação, neurociência e a natureza humana. Sua empresa oferece consultoria para profissionais de alta performance, incluindo empresários, atletas olímpicos e executivos, ajudando-os a alcançar melhor desempenho profissional e desenvolver maior foco, tudo isso mantendo o equilíbrio e reduzindo a ansiedade para facilitar a tomada de decisões. Este suporte é proporcionado por Giuliano e sua equipe multidisciplinar de médicos e psicólogos. Milan começou sua jornada com a meditação aos dezenove anos, enquanto cursava Administração de Empresas na FGV, e desde então, aprofundou-se em técnicas de meditação, respiração e visualização. Sua experiência inclui trabalho com figuras de destaque em diversas áreas, como o nadador e medalhista olímpico Thiago Pereira nas Olimpíadas de Londres em 2012 e com atletas da seleção brasileira de vôlei nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, onde o Brasil conquistou a medalha de ouro. Entre seus clientes notáveis estão também Bernardinho, Bruninho, Éder Carbonera, Lukas Saatakamp e Ricardo Lucarelli do vôlei, Lucas Moura do futebol, Fabiana Moraes do atletismo, e profissionais do mercado financeiro como Betina Roxa, além de empresários renomados como Arnaldo Landi, Daniel Fernandes e Gabriel Lopes, empresário do DJ Alok e de outros artistas.

Colaboração da pauta:

Cris Moraes Comunicação Inteligente

Felipe Sá | [email protected]

Publicidade Dolce Morumbi

Assine nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

Garanta a entrega de nossa Newsletter em sua Caixa de Entrada indicando o domínio
@dolcemorumbi.com em sua lista de contatos, evitando o Spam

Artigos recomendados

Ainda não há comentários. Deixe o seu abaixo!


Deixe uma resposta