O que eu faço aqui, funciona aí?

Luciana Lauria

Já parou para pensar por que consegue manter uma gaveta mais organizada do que outra dentro do mesmo armário? Toda vez que você abre aquela mais bagunçada vem aquela dúvida de como aquilo está sempre assim?!

Quando nos deparamos com isso logo pensamos: – “Organização não é comigo! Isso não funciona para mim!”. Desistimos e contribuímos para aquele espaço virar o caos (já que não temos jeito mesmo para coisa, não é?!). Calma! Não é bem assim!

Quando isso passa a te incomodar vale a reflexão para entender e corrigir. Sim, a organização é uma prática constante. Um exercício de repetição para aqueles que não conseguem estabelecer uma ordem natural no processo do “tirou devolve no lugar”. O interessante é que antes de chegar a esse ponto, tudo que você tem precisa de um lugar para estar e voltar depois de usado. Eu chamo isso de garagem das coisas. Já contei em outro artigo aqui que quando tiramos o carro da nossa vaga de garagem, ao retornarmos, o guardamos na mesma vaga. Não faz sentido guardar na casa de outra pessoa se você tem sua vaga. Esse exemplo vale para todas as coisas que temos. Lembre-se sempre disso.

E como criar as “garagens” corretas? Olhamos em volta e percebemos que precisamos de inspiração para saber como fazer.

Hoje com uma busca rápida nas redes sociais encontramos milhares de informações sobre isso. Tomados de inspiração e pelo desejo de acabar com o incomodo da desordem copiamos as dicas fielmente e o que acontece? Nada ou pouca coisa muda.

Mas o que deu errado? Organizar é algo muito difícil então?!

Image por Annie Spratt

Nada disso! Organizar vai além de dobras perfeitas de roupas e alinhamento milimétrico de livros. Organizar é simples se você começar entendendo a sua relação de uso e interação com aquele espaço.

Quando você mesmo faz a organização pense como você se movimenta naquele ambiente. Vou dar um exemplo. Quando vai se vestir. Em qual ordem costuma pegar suas roupas? Roupa íntima primeiro, a parte de cima de vestir como camisetas e camisas, seguido da parte de baixo como calças, saias, shorts e assim por diante. Entendendo isso você estabelece o local que vai facilitar esse processo.

Imagem por Ruta Celma

Isso se aplica a qualquer ambiente, residencial ou comercial e é por isso que quando se toma a decisão de contratar um profissional de organização, um Personal Organizer, é muito importante explicar como as pessoas que vivem naquele ambiente interagem com ele.

Alguns detalhes são tão importantes e podem fazer uma enorme diferença no sucesso do processo de organizar e no resultado do projeto. Um deles é saber se, numa casa por exemplo, todos os moradores são destros. Se houver um canhoto temos que levar em conta e fazer a organização ser funcional para ele também!

Imagem por Vladimir Mokry

Esse é o motivo portanto, de muitas vezes acharmos que organização não funciona para todos. Funciona sim! Para todos e em tudo. O que muda é que a nossa relação com os espaços é diferente. Então, quanto mais personalizado for o projeto que você criar ou contratar para organizar, que pode ser de uma única gaveta à uma casa ou empresa, entenda como é a interação com esse espaço. O que funciona bem aqui, pode não te atender aí!

Eleja um lugar que está incomodando e leve em consideração as dicas que dei.

Faça alguma parte do ambiente ao menos. Mas faça!

Até a próxima!

Luciana Lauria é Personal Organizer por amor ao propósito da organização, casada, mãe de uma linda moça e moradora do Morumbi.
WhatsApp: (11) 99381-2327
Você pode também saber um pouco mais desse universo em suas redes sociais.

Imagem destacada da Publicação:
Designed by macrovector – Freepik

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Artigos recomendados