A inflação pode afetar as suas finanças

Com a inflação em alta, seu dinheiro não “vale” a mesma coisa. O que você adquiria no ano passado com R$ 10,00, por exemplo, não consegue mais comprar hoje.

Dessa forma, a inflação traz vários reflexos para as finanças. É importante ter atenção a esses efeitos, para evitar prejuízos ao seu orçamento e ao dia a dia.

A seguir, contamos tudo que você precisa saber sobre o assunto. Acompanhe o conteúdo!

Inflação: entenda o que é e como funciona no Brasil

A inflação é o aumento generalizado de preços, de produtos e serviços. Ou seja, tudo se torna mais caro para o consumidor, que perde poder de compra. Afinal, o salário dos indivíduos não cresce na mesma medida, nem na mesma velocidade.

A inflação está em alta no Brasil atualmente. É por isso, por exemplo, que muita gente já percebeu a subida dos preços no supermercado.

No Brasil, o indicador oficial de inflação é o Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA). Para frear a inflação, o Poder Público costuma tomar algumas medidas, como a diminuição de gastos públicos e juros mais altos.

Quanto maior a taxa de juros, por exemplo, mais difícil fica para o consumidor obter crédito. Então, há queda nas vendas, o que favorece os preços se estabilizarem. Preços mais baixos vão fazer as pessoas voltarem a comprar.

Quais impactos ela traz à economia do brasileiro

A inflação tem impactos bastante prejudiciais aos indivíduos. Inclusive porque, o aumento é generalizado.

Ou seja, você passa a pagar mais pelos mais variados produtos e serviços. Então, fica mais difícil fazer o mesmo de antes com o dinheiro que você tem. Falamos sobre isso a seguir. Continue lendo!

Menor poder de compra

Sem dúvida, o efeito mais percebido pelos consumidores é a perda em seu poder de compra. E é fácil perceber essa perda do seu poder de compra no dia a dia. Ao ir ao supermercado, à farmácia, à gasolina e outros

Apenas preços menos voláteis demoram um pouco mais para subir. Como é o caso das passagens de ônibus, que geralmente sofrem um reajuste anual.

Produtos com preços mais elevados

Como contamos antes, o preço dos bens e serviços crescem consideravelmente com a inflação. Se a inflação cai, eles tendem a se estabilizar; caso não, os números continuam a subir.

Vamos a um exemplo concreto. Entre novembro de 2019 e outubro de 2020, o preço de um pacote de arroz de 5 kg subiu de R$ 14,25 para R$ 22,43. Uma diferença considerável, não é mesmo?

Prejudica economias

Outro efeito da inflação acontece sobre o dinheiro que você tem guardado e tinha planos para usar. Por exemplo, para fazer a compra de um carro ou pagar por uma viagem.

Se o dinheiro “perde valor”, poder de compra, torna-se bem mais difícil arcar com o planejado. Então, se você se programou para realizar a compra para determinada data, pode ter que adiá-la,  pois não vai mais conseguir suprir os custos no agora.

Nestes casos, a espera pode favorecer sua renda, pois a inflação pode cair e levar os preços juntos. Mas nada garante também que ela não subirá mais.

Momentos de inflação requerem atenção especial ao orçamento, inclusive com pequenos gastos

A inflação é sempre algo negativo?

Como contamos antes, uma das ações do governo para diminuir a inflação é o aumento da taxa de juros. Mas enquanto esse ajuste não é feito, a inflação garante taxas de juros mais baixas nos empréstimos. Esse é um dos efeitos da inflação que podem beneficiar o consumidor.

Com taxas de juros mais baixas, fica mais barato para o usuário obter o crédito com as financeiras. Então, pode ser uma oportunidade de solicitar dinheiro para comprar um carro, pagar por uma viagem, adquirir um bem desejado ou outros.

Existem vários tipos de empréstimo disponíveis no mercado. Em todos eles, vale a pena usar um simulador de empréstimo. Assim, fica mais simples visualizar várias ofertas e escolher o crédito mais vantajoso.

Começando pelo empréstimo pessoal, que é simples de obter. Basta solicitar o crédito, esperar a aprovação e aguardar o dinheiro em conta.

Outra opção é o crédito consignado, uma opção voltada para quem tem folha de pagamento. Ou seja, trabalhadores CLT, aposentados e pensionistas do INSS, funcionários públicos e membros das Forças Armadas do Brasil.

A diferença do crédito consignado é que o valor das suas parcelas, para pagar à financeira, são compulsórias. Quer dizer que seu pagamento é automático, descontado direto da folha de pagamento do indivíduo.

É algo que dá mais segurança de pagamento à credora. Então, os juros do consignado costumam ser mais baixos naturalmente.

O empréstimo com garantia é outro que também dá segurança à financeira, então tem juros mais baixos.

Neste caso, você vai oferecer ao banco um bem como garantia. Como um imóvel, um carro, moto etc. Esse bem continuará sendo seu, e você poderá usá-lo normalmente. Porém, se as parcelas do empréstimo ficarem em aberto, o bem pode ser “tomado” para quitá-lo.

Como minimizar seus impactos no consumo

Para minimizar os impactos da inflação no seu dia a dia, são necessárias três palavras de ordem: pesquisa, necessidade e poupança.

A pesquisa é mais do que essencial na hora de comprar qualquer coisa. Apesar da subida generalizada de preços, as empresas vão continuar a cobrar valores diferentes.

Por isso, você precisa pesquisar para encontrar a melhor oferta. A internet facilita muito esse trabalho, mas você também pode pesquisar indo pessoalmente às lojas, se preferir.

De qualquer forma, nunca compre de cara, na primeira loja que você visitar. Isso, muito provavelmente, vai fazer você gastar mais.

A segunda palavra de ordem, necessidade, diz respeito a: você precisa mesmo comprar agora? Se os preços estão altos, significa que você poderia pagar bem menos pelo produto ou serviço em outro momento.

Assim, se possível, adie sua compra. Com um tempo de espera, pode ser que você consiga gastar menos no que deseja.

Por último, faça uma poupança. É sempre interessante ter dinheiro guardado, para momentos como de inflação. Porque se sua renda mensal perder poder de compra, você terá valores reserva para gastar com o que precisar.

Considerações finais

A inflação pode ser um grande problema. Então, muito cuidado com o seu orçamento. Pesquise sempre antes de comprar e cuide para ter dinheiro guardado.

Mas também saiba aproveitar o momento. Se você está precisando de um empréstimo, muito provavelmente vai pagar menos por ele em um período de inflação alta.

Apenas cuidado para planejar isso também. Assim, você vai evitar obter uma dívida que não conseguirá pagar.

Meta-descrição: A inflação tem efeitos no seu poder de compra, nos preços e ainda prejudica suas economias. Entenda por que isso acontece e o que fazer para evitar problemas maiores.

Este artigo é um oferecimento de Juros Baixos – Soluções Financeiras Online

Maria Eduarda de Souza Padilha
[email protected]

abrakadabra-banner
touche-presenca-online-jan21-(2)
touche-presenca-online-jan21-(3)
touche-presenca-online-jan21-(4)
touche-presenca-online-jan21-(5)
presenca-online-campanha-touche (6)
Anterior
Próximo

Imagem destacada da Publicação

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

vinheta-julho21-banner-(1)
vinheta-julho21-banner-(2)
vinheta-julho21-banner-(3)
vinheta-julho21-banner-(4)
vinheta-julho21-banner-(5)
vinheta-julho21-banner-(6)
vinheta-julho21-banner-(7)
Anterior
Próximo

Artigos recomendados