Dia dos Namorados: como fazer o amor durar?

Psicóloga enfatiza a importância do amor e dá dicas de como demonstrá-lo para a pessoa amada

Está chegando a data mais romântica do ano (pelo menos para os casais apaixonados): 12 de junho, Dia dos Namorados. Um momento especial para os casais, regado a jantares apaixonados e trocas de presentes, recordações e declarações.

Comemorado no resto do mundo em 14 de fevereiro (o “Valentine’s Day”, ou Dia de São Valentim), a celebração se popularizou no Brasil a partir da década de 1950. Inspirado pelo Dia das Mães, comemorado em maio, um publicitário criou uma campanha pensada para melhorar as vendas do comércio durante o mês de junho. Deu certo e a data é celebrada até hoje.

Além do coração dos amantes, o Dia dos Namorados também aquece o comércio: segundo levantamento de uma plataforma de comércio eletrônico, os casais devem gastar, em média, R$ 221 reais em presentes este ano, com destaque para compras de calçados, acessórios, roupas e perfumes. Já uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas aponta que 92 milhões de apaixonados devem ir às compras, movimentando R$ 18 bilhões de reais na economia brasileira.

Mas você sabia que dar presentes não é a única forma de demonstrar o sentimento pela pessoa amada? A coordenadora do curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera, professora Sueli Cominetti Corrêa (Psicóloga — CRP 06/50926), explica que muitos aspectos compõem a experiência amorosa.

 “Atenção, dedicação, diálogo e autenticidade são pilares essenciais e, embora não haja uma definição única e conclusiva sobre o que é o amor, as várias correntes teóricas da Psicologia concordam que se trata de uma experiência de conexão com algo ou alguém muito forte e necessária e que precisa ser cuidada”, pontua.

Segundo a especialista, a compreensão sobre as necessidades da pessoa amada, o companheirismo (aquela cumplicidade gostosa que precisa acontecer) e o carinho sincero são formas incríveis de demonstrar amor. “Valorizar o que a pessoa amada gosta; ouvir ao invés de supor; acompanhar, interessar-se sobre seus desafios, tudo isso demonstra que o que mais se quer é a felicidade dessa pessoa”, reforça Corrêa. 

A psicóloga lembra ainda que o amor é um tema central na Psicologia e aponta que Sigmund Freud (1856-1939), em sua consagrada teoria, já abordava o amor, relacionando-o a pulsões internas e à busca por alívio e satisfação.

“Para Freud, a busca pelo prazer atravessa fases distintas individuais e culmina no encontro do outro como um parceiro para vivências. A natureza da experiência emocional destas fases, para muitos autores da Psicanálise, serve como um protótipo, um modelo, para relações futuras”, explica a psicóloga.

No que tange a relacionamento a dois, a mídia, os filmes e músicas exploram bastante este universo e acompanham os debates sobre o amor. A psicóloga menciona também que Erik Erikson (1902-1994) relacionou o amor maduro com a identidade (noção que construímos de nós mesmos), com a intimidade e a ideia de compromisso. O compromisso é um dos critérios pelos quais as pessoas se assumem como namorados.

Sueli menciona também que nas correntes humanistas, por exemplo, Abraham Maslow (1908-1970), defende o amor como uma necessidade humana, relacionando-o com nossos vínculos familiares, amizades e relações sociais. “Na medida em que cuida de sua autoestima e busca se autoatualizar, a pessoa torna-se cada vez mais apta a amar. Portanto, é essencial descobrir-se; amar-se para que o aprendizado sobre o que é amar verdadeiramente outra pessoa possa se completar”.

A professora acrescenta que, culturalmente, relacionamos o amor a algumas categorias: amor materno, amor fraternal e, especialmente na ocasião do Dia dos Namorados, o foco recai sobre os casais e sobre um tipo de amor mais íntimo/erótico, que é aquele direcionado a uma pessoa, com a qual há envolvimento emocional, dedicação afetiva e vivência sexual.

“O amor é um ponto crucial nas questões de significado e existência. Muito mais que um fenômeno biológico ou instintivo, a emoção, a cultura e as expectativas são componentes desta grande vivência que é amar”, elenca Corrêa.

Como orientação, Sueli diz que é importante que os casais conversem para entender suas necessidades e características; que parem de supor — que dialoguem e que tenham a coragem de rever conceitos e seus próprios sentimentos.

“É necessário que aprendam a controlar o apego e o ciúme, mas que não fiquem desatentos à distância emocional, ao automatismo e nem a uma confiança cega de que sabem tudo sobre a pessoa amada. As pessoas mudam e precisam ser acompanhadas nas suas mudanças. A parceria e os toques físicos devem ser constantes e não só quando há desejo sexual. A entrega não é no tempo de relógio, mas vem da disponibilidade interior. O amor não segue uma receita padrão; o diálogo, o respeito e o entendimento mútuo devem ser parâmetros para um relacionamento saudável e duradouro”, completa a especialista da Anhanguera.

Parafraseando os poetas, Corrêa lembra que “toda forma de amor vale a pena”, “fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”, e que o amor “seja eterno enquanto dure”.


Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância.
Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais.
Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Acesse o site
 e o blog para mais informações.

A Kroton nasceu com a missão de transformar a vida das pessoas por meio da educação, compartilhando o conhecimento que forma cidadãos e gera oportunidades no mercado de trabalho. Parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira de capital aberto dentre as principais organizações educacionais do mundo, a Kroton leva educação de qualidade a mais de 936 mil estudantes do ensino superior em todo o País. Presente em 1.672 municípios, a instituição conta com 131 unidades próprias, sob as marcas Anhanguera, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar e é, há mais de 20 anos, pioneira no ensino à distância no Brasil. A Kroton possui a maior operação de polos de EAD no país, com 2.259 unidades, e oferece no ambiente digital 100% dos cursos existentes na modalidade presencial. Com a transmissão de mais de 1.000 horas de aulas a cada mês em ambientes virtuais, a Kroton trabalha para oferecer sempre a melhor experiência aos alunos, apoiando sua jornada de formação profissional para que possam alcançar seus objetivos e sonhos. Acesse o site para mais informações.

Colaboração da Pauta:

Ideal H+K Strategies

Vagner Lima
vagner.lima@idealhks.com
+55 11 97353-5849

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (1)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (2)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (3)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (4)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (5)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (6)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (7)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (8)
vinheta-janeiro-2012-banner-v1 (9)
Anterior
Próximo

Artigos recomendados

Ainda não há comentários. Deixe o seu abaixo!


Deixe uma resposta