Pesquisa traz reflexão sobre mitos e realidades das habilidades de liderança entre homens e mulheres no Brasil

Crescimentum avaliou mais de 2.500 líderes sendo 62% homens e 38% mulheres

Imagem por ismagilov em Canva Fotos

A Crescimentum, empresa voltada para o desenvolvimento da competência de liderança em pessoas e empresas, conduziu uma pesquisa abrangente sobre o comportamento das lideranças no cenário empresarial brasileiro. O estudo revelou a diferença entre a liderança feminina e a masculina, segundo seus comandados.

Os resultados oferecem uma visão valiosa das principais características apresentadas em cada liderança, como fatores-chave para o sucesso organizacional. A pesquisa, que envolveu mais de 24 mil respondentes no total, teve como objetivo fundamental compreender as expectativas em relação aos líderes, especialmente no que diz respeito à forma como conduzem suas equipes, gerenciam o negócio e influenciam a cultura das organizações.

“A avaliação foi realizada através das diferenças comportamentais entre as lideranças, é importante destacar que os pontos fortes e fracos entre homens e mulheres são praticamente os mesmos”, destaca Renato Curi, sócio-diretor da Crescimentum.

Imagem por shironosov em Canva Fotos

As mulheres foram melhor avaliadas quando comparadas aos homens nas seguintes competências:

  • Escutam as pessoas de forma atenta e empática;
  • Atuam cotidianamente para promover a diversidade e inclusão no time;
  • Demonstram vulnerabilidade, assumindo tranquilamente seus pontos fracos e erros;
  • Dão feedbacks constantes à sua equipe;
  • Dedicam tempo necessário para treinar e desenvolver as pessoas, tornando-as mais autônomas e preparadas.

“As mulheres estarem melhor avaliadas comparadas aos homens não significa que o comportamento é um ponto forte. Mesmo para as mulheres, a percepção dos avaliadores é que vulnerabilidade, feedback e treinar o time ainda são pontos fracos. A escuta sim está avaliada como um ponto forte!”, ressalta Curi.

Publicidade Dolce Morumbi

Imagem por Bartek Szewczyk em Canva Fotos

As competências em que os homens se destacam com relação as mulheres são:

  • Gerenciam com maestria suas emoções demonstrando paciência e autocontrole;
  • Assumem riscos ao tomar decisões, mesmo sem todas as informações, abrindo mão da previsibilidade.

“Também ressalto que para homens e mulheres esses são pontos fracos, ainda que os homens sejam melhor avaliados em gerenciar emoções e tomar decisões”, comenta o sócio-diretor da Crescimentum.

Observando a diferença entre pessoas do gênero feminino e masculino, nota-se uma maior capacidade de homens tomar decisões no tempo certo e que a liderança feminina, justamente por estar melhor em competências relacionadas à gerar pertencimento e desenvolvimento de pessoas, estão com maior repertório para lidar em estruturas mais horizontais e que demandam por uma liderança humanizada.

Para Renato Curi, uma reflexão possível é: “Será que, de fato, existe uma habilidade maior de homens gerenciarem emoções ou quando uma mulher está sendo assertiva existe um risco maior de ser avaliada como agressiva ou fora de controle?”

Imagem de Freepik

Um ponto de alerta e preocupação no estudo é que na percepção da liderança direta, as mulheres foram pior avaliadas em todas as 33 perguntas e receberam, em média, uma nota 10,1% menor do que os avaliados do gênero masculino. Na visão de pares e liderados(as), homens e mulheres recebem notas equivalentes. Isso dá margem para pensar nos vieses inconscientes que ainda estão presentes na liderança e como isso pode atrapalhar uma avaliação justa.

Publicidade Dolce Morumbi

Renato Curi é graduado em Administração de Empresas pela PUC-SP e é diretor do GCG (Centro de Gestão do Conhecimento) na Crescimentum. Há oito anos conduz Programas de Liderança, Team Building e processos de Coaching de executivos. Atuou na Unilever e Danone, empresas nas quais liderou projetos nas áreas de Marketing e Recursos Humanos. É especialista em Gestão de Cultura Organizacional pelo Barrett Values Centre e já participou de diversas formações no exterior e foi aluno do Peter Senge, no curso Leadership Foundations na Society for Organizational Learning. Fez na Singularity University o aprofundamento em Exponential Innovation e foi um dos líderes participantes na West Point Military Academy no curso Battle-Tested Leadership Strategies for Executives. É certificado em Behavioral Analyst pela Thomas International, em Coaching pela Lambent, Coaching Evolution com Richard Barrett e em técnicas de facilitação na metodologia Art of Hosting

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/renato-curi

Desde 2003, a Crescimentum iniciou sua trajetória em liderança com o lançamento do revolucionário Líder do Futuro: um programa imersivo que já transformou mais de 15 mil líderes e mais de mil empresas no Brasil e no mundo. Liderada por Arthur Diniz, é parte do Cegos Group, maior grupo de T&D do mundo, atua em 50 países e oferece soluções em mais de 20 idiomas, nas áreas de Coaching & Mentoring e Cultura Organizacional, com formações e programas in company. Desde 2021, se especializou também em treinamentos de Vendas e Atendimento, referência em Digital Learning, que impacta mais de 250 mil pessoas por ano, sendo reconhecida como a empresa número 1 do Brasil em Treinamento e Desenvolvimento pelo Top of Mind de RH. 

https://crescimentum.com.br/

Colaboração da pauta:

Bendita Imagem

Augusto Pigini | augusto@benditaimagem.com.br

Assine nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

Garanta a entrega de nossa Newsletter em sua Caixa de Entrada indicando o domínio
@dolcemorumbi.com em sua lista de contatos, evitando o Spam

Artigos recomendados

Ainda não há comentários. Deixe o seu abaixo!


Deixe uma resposta