A Arte das Catedrais Góticas

Dolce Arte

Amanda Sanzi

A Arte Gótica nos faz flutuar pelas catedrais com a riqueza dos detalhes desta imponente arquitetura!

Tamanha suntuosidade!

Ótima leitura!

A arte gótica, ou o estilo gótico, esse estilo artístico teve início na França e se espalhou pela Europa medieval entre os séculos XII e XV no período da Baixa Idade Média, teve seu desenvolvimento na pintura, na escultura e, sobretudo, na arquitetura.

A expressão “gótico”, associada a esse tipo de arte, vem do latim “gothicus”, que faz referência aos povos bárbaros vindos da Escandinávia, os Godos. O termo que nomeou o movimento foi dado por Giorgio Vasari (1511-1574) escritor, pintor e arquiteto italiano.

Arquitetura

A arquitetura foi a principal expressão da arte Gótica.

A ideia da arquitetura era apontar a obra para o infinito e diminuir o homem, destacando sua insignificância diante das divindades.

As principais características são as abóbadas ogivais, a verticalidade das obras, as gárgulas e os vitrais.

Em destaque a questão da verticalidade da arquitetura gótica. Isso estava associado à proximidade com o céu. Não é a toa que as torres das igrejas eram tão pontiagudas e esguias.

Exemplos marcantes da arquitetura gótica são as catedrais, Notre-Dame, em Paris, França e a Duomo di Milano, em Milão, na Itália.

Aliás, a arquitetura gótica é também conhecida por “A arte das catedrais”.

A Abadia Real de Saint Denis é uma igreja medieval localizada em um subúrbio do norte de Paris. A igreja tem uma importância histórica e arquitetônica; Seu coro, concluído em 1144, mostra o primeiro uso dos elementos da arquitetura gótica.

Hoje, a Basílica de Saint-Denis é reconhecida como o primeiro exemplo de arte e arquitetura gótica. É também o maior museu do mundo de estátuas medievais e renascentistas, o lar de mais de 70 peças de esculturas funerárias do século XII ao século XVI. Sua torre norte pode ter desaparecido, mas seus interiores góticos imaginativos continuam a ser admirados pelos visitantes que, ao entrar em Saint-Denis, pisam em um ponto decisivo na própria história da arquitetura.

A arquitetura gótica de Notre-Dame é dividida em três níveis horizontais e três verticais, o que destaca ainda mais suas duas torres, com 69 metros cada.

Em 15 de abril de 2019 sofreu um incêndio de grandes proporções.

Segundo a agência responsável pela restauração do local em nota à imprensa informou que estão trabalhando muito para reestruturar a igreja. Apesar dos atrasos causados pela Covid-19, o clima difícil e as medidas de precaução tomadas para proteger trabalhadores da exposição ao chumbo, o arquiteto chefe do local, Philippe Villeneuve, acredita que a catedral será reaberta até a data prevista de 2024.

A fachada da Catedral de Notre-Dame é ricamente ornamentada com estátuas que retratam cenas bíblicas. O ponto mais marcante é o portal de entrada.

Também se destacam os seus vitrais, sobretudo a roseta, na fachada principal; e as gárgulas espalhadas pelas paredes.

A arquitetura gótica da Catedral de Milão impressiona. Ela é repleta de ornamentações, somando 3400 peças, quase como se fosse um museu a céu aberto.

O Duomo foi considerado a terceira maior igreja depois da Basílica de São Pedro, no Vaticano, e da Catedral de Sevilha.

O Prof. E.H. Gombrich em seu livro intitulado “A História da Arte” descreve maravilhado o interior das igrejas góticas: “No interior de uma catedral gótica somos levados a compreender a complexa interação de trações e pressões que mantêm a grandiosa abóbada em seu lugar. As paredes das novas igrejas eram formadas por vitrais polícromos que refulgiam como rubis e esmeraldas. Os pilares, nervuras e rendilhados despendiam cintilações douradas. […] Os fieis que se entregavam à contemplação de tanta beleza podiam sentir que estavam mais próximos de entender os mistérios de um reino afastado do alcance da matéria”.

Vitrais

Os vitrais eram muito utilizados nas catedrais góticas, eram vidros coloridíssimos que cobriam todas as janelas de quase todas as paredes da catedral gótica.

Além de iluminar o interior da catedral, nos vidros eram narradas histórias da Bíblia por meio de imagens. Por isso, para os fiéis que não sabiam ler (a maioria da população) esses vitrais tinham uma importante função didática.

Esculturas 

A exaltação e a busca pela beleza ideal se fizeram presente nas obras. Além disso, o naturalismo se tornou tendência na arte.

As principais características da escultura gótica, se não sua principal é a tridimensionalidade, a sensação é estar se movendo em direção ao observador o aspecto naturalista que se faz presente nas dobras que “caem” verticalmente dando sensação de fluidez às obras.

Os exteriores e interiores das catedrais góticas eram decorados com muitas estátuas de temática religiosa, que geralmente contavam alguma história bíblica. 

As gárgulas, embora tivessem também função decorativa e significado religioso (reza a lenda que elas protegiam as igrejas).

Pinturas

As pinturas quase sempre tratavam de assuntos religiosos (santos, anjos e outros símbolos divinos). Na maioria das vezes eram usadas cores claras, revelando uma estreita ligação entre a pintura gótica e a iconografia cristã. Os principais pintores deste período foram Giotto di Bondone (1267 – 1337), Simone Martini (1283 – 1344) e Jan van Eyck (1390 – 1441).

Importante lembrar que as pinturas e ilustrações serviram tanto para se contemplar quanto para educar a sociedade medieval, uma vez que não alfabetizada, ilustrações, pinturas e vitrais eram ótimos meios de se catequizá-la.

E por falar na magnífica Gótica Notre-Dame, finalizo com a lembrança, leitura e citações deste renomado escritor francês Victor Hugo e sua principal Obra, Notre-Dame de Paris.

Notre-Dame de Paris um romance histórico de autoria do escritor francês Victor Hugo, publicado em 1831, engajado nas causas sociais, fez de sua escrita um meio de denúncia às injustiças.

Sobre seu romance, uma história sobre arte, principalmente, arquitetura. É uma romantização do período gótico e um estudo dos movimentos que uniram as formas de arte e a oratória tradicionais com a ideia inovadora de uma prensa tipográfica.

“A água que não corre forma um pântano; a mente que não trabalha forma um tolo.”
“Ler é beber e comer. O espírito que não lê emagrece como o corpo que não come.”
Victor Hugo

Amanda Sanzi é artista visual, moradora do Morumbi e expressa sua compreensão do mundo através de suas obras!

amandasanzi.com

Imagem destacada da Publicação

Catedral de Notre-Dame, Paris | Imagem de Corina Benesch por Pixabay

Assine

Nossa Newsletter

Inscreva-se para receber nossos últimos artigos.

Conheça nossa política de privacidade

vinheta-julho21-banner-(1)
vinheta-julho21-banner-(2)
vinheta-julho21-banner-(3)
vinheta-julho21-banner-(4)
vinheta-julho21-banner-(5)
vinheta-julho21-banner-(6)
vinheta-julho21-banner-(7)
Anterior
Próximo

Artigos recomendados